Alíquota corresponde a 3% do valor venal do veículo - 07/01/2019

IPVA: é melhor pagar o imposto à vista ou parcelar?

Por Redação com Estadão Conteúdo

 

 

 

Para começar 2019 com o orçamento equilibrado, especialistas recomendam planejamento para quitar o imposto sobre a propriedade de veículos automotores (IPVA) sem pagar juros e comprometer os valores que poderiam ser destinados a outras contas.

As alíquotas do imposto permanecem inalteradas, correspondendo a 3% do valor venal do veículo. Se o veículo novo custa R$ 50 mil, o proprietário multiplica esse valor por 0,03 e terá o valor do imposto (no caso, seria R$ 1.500,00). Já para veículos usados, o Governo divulgou uma tabela – consulte AQUI – com os respectivos valores de IPVA.

O contribuinte potiguar que optar por pagar em parcela única terá desconto de 5%, de acordo com a Secretaria do Estado de Tributação (SET-RN).

Para não passar aperto no começo do ano, o planejador financeiro Caco Santos recomenda que o pagamento do imposto seja incluído em um planejamento anual. “Se você sabe que vai pagar R$ 960 de IPVA, o ideal é dividir esse valor por 12 e guardar R$ 80 por mês para pagar à vista.”

Ele sugere que quem tem o dinheiro usufrua do benefício de 3% de desconto concedido pelo Estado e pague em uma única parcela. “Nenhum investimento minimamente moderado conseguiria ter um rendimento equivalente ao desconto habitual em três meses.”

O planejador completa: “Quem tem dinheiro aplicado em algum fundo de renda fixa, como o CDI, estaria perdendo por volta de 2,5% se pagasse em três parcelas, então é recomendado até sacar o dinheiro do investimento para pagar à vista.”

Parcelado

No entanto, para quem não conseguiu fazer uma reserva, a alternativa é dividir o IPVA 2019 em três parcelas. Foi o que o engenheiro mecânico Celso Corrêa fez.

Além dos impostos de começo de ano, como o IPTU, ele também tem gastos de matrícula e material escolar com o filho de 13 anos. “Para mim, vale mais a pena parcelar porque eu desembolso menos dinheiro de uma vez e consigo usar o crédito em outras dívidas que não possuem a facilidade do pagamento parcelado”.

Segundo a economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) Ione Amorim, ainda que pagar à vista seja benéfico, não é recomendado pegar um crédito pessoal para conseguir quitar o IPVA de uma vez. “Os juros praticados no atraso de um pagamento de imposto são bem inferiores aos praticados por qualquer instituição financeira”, aponta.

Ione também destaca a importância de se ficar atento para as datas de vencimentos das parcelas e alerta para possíveis golpes de boletos falsos.

Se o proprietário do veículo possuir uma dívida cara, como cartão de crédito e cheque especial. Neste caso seria a melhor opção eliminar o endividamento em razão da alta taxa de juros.

Pagamento

No RN, o Detran passou a não emitir o carnê físico de taxas e impostos relacionados aos veículos. O usuário deve buscar a emissão dos boletos pelo site do órgão, unidades físicas, agências do PagFácil, Banco do Brasil ou aplicativo oficial do Detran.

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12