Deputada disse que o áudio do também coordenador da operação Lava Jato apenas 'confirma a animação' do Ministério Público Federal (MPF) em 'incidir nas - 10/07/2019

Jean Paul e Natália criticam “animação” do MPF com proibição a Lula

Senador Jean Paul Prates e deputada federal Natália Bonavides, ambos do PT

A deputada federal Natália Bonavides e o senador Jean Paul Prates, ambos do PT, criticaram em suas redes sociais o mais recente conteúdo liberado pelo site The Intercept Brasil, em suas série de reportagens intitulada “#VazaJato”.

Em sua conta no Twitter, Natália Bonavides afirmou que “quem precisa de golpe e de fraude jurídica para impor seu projeto só pode ter muito medo mesmo da fala de um grande líder popular como o presidente”.

A deputada disse que o áudio do também coordenador da operação Lava Jato apenas “confirma a animação” do Ministério Público Federal (MPF) em “incidir nas eleições de 2018”. A parlamentar ainda declarou que Dallagnol “é um verdadeiro ator político de direita disfarçado de procurador”.

O Intercept liberou, na tarde da última terça-feira, 9, um áudio compartilhado em um grupo no aplicativo Telegram, no qual o procurador da República, Deltan Dallagnol, compartilha com outros procuradores a notícia sobre a liminar, dada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, que suspendia a decisão em prol da entrevista do ex-presidente Lula com a jornalista do jornal Folha de S.Paulo, Mônica Begamo.

Já o senador Jean Paul Prates disse, também em sua conta no Twitter, que comemorar a proibição de entrevista de Lula “é mais grave” do que se o procurador geral tivesse comemorado a prisão do ex-presidente.

Segundo o parlamentar, isso demonstra “articulação da acusação com andamentos meramente eleitorais” do processo. “Apenas uma demonstração indisfarçável da fixação de manter o principal objeto da sua vida profissional preso e não-candidato”, afirmou Prates.

O site The Intercept Brasil liberou a primeira parte da série de reportagens, que ainda está em curso, no dia 9 de junho deste ano. O conteúdo consiste, principalmente, de conversas vazadas entre procuradores e integrantes da Operação Lava Jato; em especial do procurador geral da República, Deltan Dallagnol, e do atual ministro da Justiça, Sérgio Moro. Fonte Agora RN.

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12