A operação foi coordenada pela Polícia Civil em parceria com a Petrobras, Secretaria de Tributação e empresas de telefonias - 14/08/2019

Polícia Civil deflagra 3ª Fase da Operação “Sucatas” em cinco municípios do RN

Foram realizadas fiscalizações em cinco municípios do RN

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 14, a 3ª Fase da Operação “Sucatas”. A Operação foi realizada com objetivo de combater o mercado clandestino de sucatas na grande Natal e na capital do oeste. A operação foi coordenada pela Polícia Civil em parceria com a Petrobras, Secretaria de Tributação e empresas de telefonias, além disso, contou com o apoio do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN).

Foram realizadas fiscalizações em cinco municípios do RN: Natal, Macaíba, Parnamirim, São José de Mipibu, Ceará-Mirim e Mossoró. Participaram da ação sete equipes da Polícia Civil, equipes da Secretaria Estadual de Tributação e do Corpo de Bombeiros Militar. 

Em Natal, as fiscalizações foram realizadas nos bairros: Bom Pastor, Cidade da Esperança, Cidade Nova, Nazaré, Felipe Camarão e Igapó. Até o momento, foram presos dois homens em flagrante. Mateus Farias de Moura foi preso no bairro do Igapó, também com uma bateria roubada. Em Macaíba, um proprietário de uma sucata, Manoel Jonas Pinheiro da Silva, 40 anos, foi preso em flagrante por receptação, com 137kg de cabos de fios, sendo alguns de empresas privadas do Estado. 

Um homem foi encontrado no bairro Cidade da Esperança com uma bateria de uma operadora de telefonia, que foi vendida para utilização em carro de som. O suspeito foi conduzido até a delegacia, em seguida, foi liberado, após a lavratura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelo crime de receptação culposa. 

2ª Fase da Operação Sucatas

A 2ª Fase da operação “Sucatas” foi deflagrada em 16 de abril deste ano e resultou na interdição de estabelecimentos em Natal em Mossoró. Durante a operação, a empresa “Macferro” foi interditada pelo Corpo de Bombeiros após a constatação da ausência de extintores de incêndio, sinalização e iluminação de emergência, além de perigos na própria edificação, e notificada com uma multa pela equipe da Secretaria de Tributação.  A empresa “Comel” foi notificada com uma multa de, aproximadamente, R$54 mil pela Secretaria de Tributação. Na empresa “J Patrício” não foram encontradas irregularidades. Agora RN.

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12