Crise fiscal e economia fraca fizeram despencar as vendas de motos, o que contribuiu para a redução, segundo especialistas - 13/09/2019

Grande Natal tem a menor circulação de motocicletas em toda região Nordeste

São mais de 535 mil unidades delas no estado

Um estudo recente sobre a frota de veículos no RN, elaborado pelo Detran, revela que as motocicletas já ultrapassaram 40% da frota total de automóveis. São mais de 535 mil unidades delas no estado.

Parece muito, mas não é. Segundo Tiago Bezerra, gerente geral da Cirne de concessionárias da marca Honda, a região metropolitana de Natal está entre as capitais nordestinas com a menor circulação de motos do Nordeste com vendas em queda em relação ao resto do País.

“Enquanto este ano as vendas no Brasil cresceram 13% e no Nordeste 9%, no RN essas vendas foram de menos 2%”, diz ele.“Por causa disso, tenho recebido frequentemente telefonemas da fábrica da Honda querendo saber o que, afinal, está acontecendo com o RN”.

Com exceção de Mossoró, um ponto fora dessa curva descendente, pelo menos para a Honda, que domina 80% do mercado, lojas da concessionária da marca como a de Alto do Rodrigues, que vendia em média 25 motos por mês, hoje não comercializa mais de três no período. Macau, que costumava faturar 104 unidades/mês nos bons tempos, hoje não vende mais de 40.

Segundo ele, a lei estadual que perdoou dívidas de IPVA de motociclistas do Rio Grande do Norte também não ajudou muito, já que isentou de dívidas passadas de IPVA condutores de motos de até 150 cc. A saída foi bancar a isenção do imposto dos modelos novos. Para Francisco de Assis Filho, gerente comercial de uma Yamaha em Natal, as razões para a queda de vendas são as de sempre: falta de dinheiro circulante na praça.

Ele explica que só o setor de peças e acessórios registrou um crescimento ao redor de 10% e que não faltam condições para se adquirir modelos novos, até com zero de entrada. Agora RN.

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12