Prisão faz parte da Operação Asclépio Verita, deflagrada pela Polícia Civil de Assis, em São Paulo. - 16/09/2020

Estudante de medicina da UFRN é preso suspeito de participar de fraude em vestibulares pelo país

Por G1 RN — Natal

Estudante de medicina da UFRN é preso suspeito de participar de fraude em vestibulares pelo país — Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Estudante de medicina da UFRN é preso suspeito de participar de fraude em vestibulares pelo país — Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Um estudante de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) se apresentou nesta terça-feira (15) à Delegacia Especializada de Capturas (Decap), em Natal. Ele é suspeito de participação no esquema de venda de vagas em cursos de medicina e estava foragido. A prisão preventiva é um desdobramento da chamada Operação Asclépio Verita, deflagrada pela Polícia Civil de Assis, em São Paulo, que prendeu envolvidos em cinco estados. 

O homem tem 25 anos e é natural de Apodi, na região Oeste do RN. Ele foi interrogado durante seis horas e confessou a participação na fraude, de acordo com o delegado Odilon Teodósio, titular da Decap. 

 

"Ele revelou que entrou para essa organização criminosa porque se viu na necessidade de fazer manutenção financeira própria, e achou que o ganho era expressivo. Conheceu alguns destes que foram presos à época de residência universitária. Se empolgou e chegou a fazer provas em três universidades - Faculdade de Medicina do ABC Paulista, em São José dos Campos e na Faculdade Tiradentes, de Jaboatão dos Guararapes", disse Odilon. 

O delegado lembrou que, no esquema, estudantes de medicina e médicos faziam vestibulares (provas) no lugar de outras pessoas, com uso de identidade falsa, com o objetivo de garantir a aprovação em cursos de medicina de universidades particulares bem conceituadas. "Esse grupo era formado por estudantes de medicina e alguns até formados em medicina. Eles fizeram várias provas Brasil afora. Esses alunos que acessavam as universidades chegavam a pagar até R$ 80 mil para esse grupo organizado", falou.

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12