Profissional da saúde, que precisou passar por cirurgia, registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil. - 23/10/2020

Mãe morde e arranca parte do dedo de médica ao ter alta e bebê seguir internado após parto em Mossoró

Por G1 RN

Hospital Maternidade Almeida Castro, em Mossoró — Foto: Divulgação

Hospital Maternidade Almeida Castro, em Mossoró — Foto: Divulgação

O número de pessoas afastadas do trabalho para ficarem em distanciamento social diminuiu no Rio Grande do Norte. Ao todo, 65 mil trabalhadores permaneceram fora do cargos no mês de setembro no estado. 

O dado está na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O número tem caído desde maio, quando começou a pesquisa. No mês anterior, agosto, esse número era de 84 mil. Em julho, eram 140 mil trabalhadores. Em maio, na maior marca, 272 mil pessoas estavam nessa condição. 

Segundo o IBGE, esses trabalhadores são apenas os que estão afastados oficialmente dos cargos do trabalho, seja com remuneração ou não. Os funcionários em home office não integram esse grupo. 

Apesar da diminuição, esse número de trabalhadores afastados em função da pandemia representa 5,5% das pessoas ocupadas no RN. Essa é a segunda maior proporção entre os estados do Nordeste e uma das cinco maiores do Brasil. 

Na região Nordeste, são 773 mil trabalhadores afastados - 4,2% da população ocupada. No Brasil, 3,6% da população ocupada estavam nessa condição em setembro, ou seja, 3 milhões de pessoas. 

238 mil desocupados 

O Rio Grande do Norte também registrou no mês de setembro 238 mil pessoas desocupadas - termo dado àquelas que buscam emprego, mas não encontram. A taxa de desocupação é de 16,8%, número estável em comparação ao mês de agosto. A taxa é considerada "alta" pelo IBGE. 

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 31/12/1969 - 09:12