Pasta realizou monitoramento no mês de outubro para entender perfil dos pacientes nos leitos. De 164 internados, 108 não haviam se vacinado contra a doença. - 21/10/2021

64% dos internados por Covid no RN têm menos de 60 anos e não se vacinaram, diz Sesap

Por g1 RN

Internados no RN tinha menos de 60 anos e não estavam vacinados — Foto: Sandro Menezes

Internados no RN tinha menos de 60 anos e não estavam vacinados — Foto: Sandro Menezes

Um monitoramento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) indicou que 64% das pessoas que foram internadas por Covid no mês de outubro em hospitais no Rio Grande do Norte não estavam vacinadas contra a doença e não eram idosos. 

De acordo com a pasta, que divulgou os dados nesta quarta-feira (20), dos 164 pacientes internados que foram analisados neste período, 108 eram não vacinados. Esses casos já foram finalizados - seja por alta médica ou óbito. 

De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Maia, o dado mostra a importância da vacinação em massa no estado. 

Ela explica ainda que a chegada a da variante delta no Rio Grande do Norte a partir de agosto de 2021 reforça ainda mais a necessidade de imunizar a população com o esquema vacinal completo. 

"Já temos a variante delta sendo predominante no estado e, apesar da transmissibilidade desta variante, nós temos a clareza de que a vacinação vai sim nos proteger. Por isso, é fundamental reforçarmos a importância de se completar o esquema vacinal, além da procura pela dose de reforço pelas pessoas dos grupos prioritários”, disse Kelly. 

O estado soma atualmente 173 amostras positivas para variante delta, que estão distribuídas em 30 municípios. O sequenciamento genômico é feito pela Fiocruz, o que atrasa o resultado da variante identificada. 

De acordo com a Sesap, já é possível dizer que a delta é a variante predominante no estado, deslocando a gama, que até então tinha essa prevalência. 

Diante disso a Secretaria mantém seu trabalho de vigilância das síndromes respiratórias, sendo o diagnóstico laboratorial e o conhecimento da circulação dos vírus respiratórios fundamentais para o desenvolvimento destas atividades. 

Além disso, reforça a necessidade de manutenção das medidas sanitárias, principalmente o uso de máscara e álcool gel, além da vacinação em seu esquema completo. 

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 01/01/1970 - 12:01