Capital teve aumento de mais de 1.500% nos casos de dengue entre janeiro e abril deste ano. Apenas em abril mais de 2 mil casos entre dengue, chikungunya e zika - 12/05/2022

Natal declara epidemia de dengue e instala gabinete de crise

Por Inter TV Cabugi

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue — Foto: Getty Images

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue — Foto: Getty Images

A capital Natal declarou que o município vive uma epidemia de dengue. A situação foi confirmada à Inter TV Cabugi pelo departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) nesta quarta-feira (11). 

No final de abril, o município havia reconhecido epidemia em apenas alguns bairros da cidade. 

De acordo com o departamento de Vigilância em Saúde, para o reconhecimento do momento, é levado em referência o manual do Ministério da Saúde, que considera três pontos: a linha de incidência de casos por três semanas consecutivas, o alto número de notificações por 100 mil habitantes e o crescente número de busca e atendimento nas urgências. 

Diante do atual cenário, o município instalou um gabinete de crise para lidar com a epidemia da doença e tomar decisões no combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, da chikungunya e da zika. 

Além da Secretaria de Saúde, compõem o gabinete: a Companhia de Serviços Urbanos (Urbana), a Secretaria de Obras e Infraestrutura (Semov), a Secretaria Municipal de Educação (SME) e a Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb). 

O Rio Grande do Norte também já havia confirmado epidemia de dengue no estado diante da alta de casos da doença, que em 4 meses de 2022 acumulou mais registros do que em todo o ano de 2021. 

Crescimento acima de 1.000% 

De acordo com o Boletim Epidemiológico das Arboviroses publicado no dia 10 de maio pela Secretaria Municipal de Saúde, Natal teve um aumento de 1.566% nos casos de dengue de janeiro a abril deste ano em comparação com o mesmo período de 2021. 

Ao todo foram 2.966 casos registrados neste ano no período contra 192 em 2021. Os casos de chikungunya - 176 contra 39 - e de zika - 13 contra 9 - também cresceram nos primeiros quatro meses deste ano. 

Ao todo, o aumento nos casos de arboviroses no período foi de 1.214%, sendo 3.155 casos notificados em 2022 contra 240 em 2021. 

O mês de abril foi o que acumulou o maior aumento, tendo 2.225 casos de arboviroses confirmados apenas nos 30 dias. Em março foram 673, em fevereiro 179 e em janeiro 78. 

Bairros 

Os bairros com mais casos notificados de arboviroses entre janeiro e abril, em número gerais, foram Pajuçara, Lagoa Azul e Pitimbu. O boletim epidemiológico da SMS considera também a incidência (número de casos pela população) na montagem do ranking dos dez bairros que mais sofreram com a doença: 

Casos de dengue de janeiro a abril 

Distrito 

Bairros 

Casos prováveis 

Incidência 

% 

Sul 

Pitimbu 

280 

1090 

8,8% 

Norte 1 

Pajuçara 

520 

688 

16,4% 

Sul 

Neópolis 

123 

534 

3,9% 

Norte 1 

Lagoa Azul 

375 

533 

11,8% 

Sul 

Planalto 

202 

497 

6,4% 

Oeste 

Cidade da Esperança 

82 

450 

2,6% 

Leste 

Alecrim 

110 

425 

3,4% 

Leste 

Lagoa Seca 

20 

413 

0,6% 

Oeste 

Nossa Senhora de Nazaré 

68 

411 

2,1% 

Leste 

Cidade Alta 

31 

410 

0,9% 

Fonte: Secretaria de Saúde 

Faça Seu Comentário:

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

 

Comentários

disse:

em 01/01/1970 - 12:01